Menu

Programa da SDR financia projetos coletivos de 660 pecuaristas familiares 

23 JAN 2017
23 de Janeiro de 2017

Mais de 660 pecuaristas familiares gaúchos serão beneficiados em 2017 pelo Programa de Apoio Leite Gaúcho e a Pecuária Familiar, da Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR). Para esta edição, houve consenso entre pecuaristas e técnicos de que os projetos devem ser executados para beneficiar associações e coletivos, e não propostas individuais. Neste ano, a SDR vai investir R$ 455 mil para a compra de equipamentos de uso na pecuária familiar. Os recursos são do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper), financiados pelo BNDES.

O primeiro contrato coletivo foi assinado pela SDR com a Associação de Produtores Rurais do Xanota, de Rosário do Sul. A entidade está habilitada a receber R$ 15 mil, que devem ser aplicados na aquisição de uma balança para pesagem de bovinos e de um carrregador de animais. Conforme o presidente da Associação, Luis André Sasso, os associados criam gado em uma área que perfaz 380 hectares.

"Esses equipamentos beneficiarão as operações e o manejo da pecuária familiar, seja no controle de ganho de peso, no ajuste de carga animal em seus pastos e, com certeza, no momento da comercialização", explica o secretário da SDR, Tarcisio Minetto.

O Departamento de Agricultura Familiar e Agroindústria é responsável pela gestão do Programa de Apoio Leite Gaúcho e a Pecuária Familiar, que recebe propostas das associações para que sejam avaliadas e, se aprovadas, contempladas pelo programa. "Este programa possibilita que os pecuaristas familiares acessem recursos fundamentais para o aumento da produção e para a sustentabilidade da propriedade", diz o diretor de Agricultura Familiar e Agroindústria da SDR, José Alexandre Rodrigues.

Mais 20 projetos já foram autorizados, contemplando equipamentos como tosquiadeiras, estrutura para manejo ovinos, botijão de sêmen, ultrassons, infraestrutura para galpões, cercas e salas de ordenha e plantadeira para plantio direto, entre outros. Essas demandas foram autorizadas com base em consenso entre pecuaristas familiares e técnicos da Emater/RS, conveniada da SDR, para que fosse beneficiado o coletivo em detrimento do individual.

Texto: Natalie Sulzbach/ Ascom SDR


Voltar

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Tenha você também a sua rádio