Menu

Piratini pode cancelar tradicional Semana Farroupilha 

21 JUN 2017
21 de Junho de 2017

Um dos mais tradicionais eventos do Rio Grande do Sul quando se trata de celebrações do orgulho gaúcho, a Semana Farroupilha de Piratini está ameaçada. Sem apoio do governo do Estado e com os recursos comprometidos com outras despesas, a prefeitura busca alternativas junto às entidades locais para manter a programação de shows e apresentações artísticas que atrai milhares de turistas.

Todos os anos, durante as duas semanas que antecedem o 20 de Setembro, dezenas de shows, apresentações artísticas, rodeios e desfiles movimentam a cidade. Segundo a Secretaria de Cultura, Turismo, Desporto e Lazer, em média cem mil visitantes passam pelo Centro de Eventos Erni Pereira Alves. O movimento é tamanho que lota os dois hotéis da cidade, pousadas e até mesmo casas de piratinienses que cedem espaço a visitantes de várias partes do Estado.

Embora não aponte o retorno financeiro disso para os cofres, a prefeitura sabe quanto isso custa: cerca de R$ 500 mil. Dinheiro que é aplicado na contratação das atrações, montagem e manutenção da estrutura. Sem condições de bancar a atração, o prefeito Vitor Ivan Rodrigues (PDT) chegou a anunciar o cancelamento das festividades. Porém, nesta terça-feira (20) representantes da administração reuniram-se com piquetes e a patronagem do 20 de Setembro CTG para tentar encontrar uma alternativa.

“É sem dúvidas o nosso maior evento e traz gente de todos os lugares para Piratini. Mas é impossível para a prefeitura bancar um valor desses”, explica o secretário de Cultura, Fladimir Gonsalves. Para ele, a alternativa viável para a continuidade da festa é obter o apoio de empresários locais e buscar patrocínio de estatais que queiram vincular seu nome a um patrimônio cultural gaúcho. “Esperamos definir esta situação até o final da semana e encontrar um caminho”, completa.

Desfile de cavalarianos mantido

Apesar do impasse envolvendo os shows, apresentações artísticas e o rodeio, pelo menos duas atividades estão asseguradas. Organizadas pelo 20 de Setembro CTG, as rondas da Chama Crioula e o desfile que reúne anualmente mais de 1,5 mil cavalarianos nas ruas da Capital Farroupilha está mantido. “Estes não correm risco, serão realizados com certeza. Para isso não dependemos de dinheiro, basta o gaúcho e seu cavalo”, frisa Luís Augusto Cardoso, patrão do CTG.

Fonte: texto Vinicius Peraça (DP)


Voltar

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Tenha você também a sua rádio