Menu

Bebeto cobra investimento na ERS-608 

27 JUN 2019
27 de Junho de 2019

Estrada que liga o município à BR-293 teve obras iniciadas em 1996, mas continua fora do radar do governo para conclusão e o trecho de 11 quilômetros com base de pavimento é o que está em pior situação.  

Lá se vão 23 anos desde que foram iniciadas intervenções na estrada entre Pedras Altas e a BR-293, via Pinheiro Machado. Principal conexão do município de 2,1 mil habitantes para escoar a produção do campo e receber produtos e serviços, a ERS-608 continua fora das prioridades do governo do Estado. Nesta quarta (26), o prefeito Luiz Alberto Perdomo (PSB), vereadores e deputados cobraram do secretário estadual de Logística e Transportes, Juvir Costella (MDB), atenção à rodovia.

A principal reclamação apresentada foi por a ERS ter ficado de fora do pacote de R$ 301,4 milhões em obras anunciado pelo governador Eduardo Leite (PSDB) há dez dias. No sul do Estado, foram destinados apenas R$ 2,4 milhões para as conclusões da Ponte do Costa e da rua Santos Dumont em Piratini e Pedro Osório, respectivamente.

Apesar do apelo, Costella afirmou à comitiva de Pedras Altas não haver recurso previsto para a pavimentação da estrada. “Foi indicada somente a existência de dinheiro do Daer para manutenção de um trecho de 11 quilômetros, que é o mais crítico. Os outros 22 quilômetros continuarão como estão”, lamenta Perdomo.

Na próxima semana, o prefeito pretende se reunir com o superintendente regional do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Jorge Oleques Júnior, para tratar do cronograma de intervenção. “Precisamos com urgência de uma operação tapa-buracos e de uma nova camada de pavimento onde há o maior desgaste”, completa.

A reportagem tentou contato com a superintendência regional do Daer, mas não foi atendida.

A ERS-608 teve obras iniciadas em 1996 durante o governo de Antônio Britto (MDB). Não foi terminada e, passados 23 anos e outros cinco governadores, a construção da estrada permanece sem prazo.

Em 2014 o Daer iniciou pavimentação em parte dos 33 quilômetros. No trecho de 11 quilômetros foi colocada base para o asfalto e, na época, a previsão dada pelo Palácio Piratini era de entrega de toda a rodovia pronta até o final de 2015.

Com o prazo descumprido mais uma vez, em 2017 uma comitiva do município se reuniu com o então secretário dos Transportes, Pedro Westphalen (PP). A promessa foi de que até o final daquele ano pelo menos os 11 quilômetros seriam concluídos com recursos do BNDES. Nos demais trechos seriam feitos reparos e sinalização. Nada aconteceu. Segundo o prefeito, a última manutenção na via foi no ano passado em operação tapa-buracos realizada com máquinas da própria prefeitura.

Fonte: Vinicius Peraça – Diário Popular


Voltar

Clique aqui pa

Tenha também o seu site. É grátis!